Chega um tempo em nossas vidas que damos conta de que tudo o que passamos neste tempo é resultado de uma convivência de aprendizados. Trocamos experiências o tempo todo, sejam elas benéficas ou maléficas.
Somos resultado do que queremos ser e do que os outros nos proporciona.
As vezes nos arrependemos de atos tomados, quanta tolice, arrepender-se de quê? Se passamos por alguma situação é porque precisamos de estar à frente dela. precisamos dialogar com ela e mais do que tudo, precisamos aprender com ela.
Fugir desta situação, é um sentimento de ir contar a decisão divina.
Quem
crê em Deus sabe que Ele é o controlador de todas as coisas. Nem tente dizer que nós distorcemos os desejos Dele. Mentira! Ele nos faz passar por tudo o que passamos para nos dizer que somos fortes, ou que somos fracos, ou que somos frágeis, ou que não somos ninguém.
Ninguém tão importante que possa menosprezar a outra. Ninguém tão preponderante que não precise do auxilio de alguém. Ninguém tão maldosa que não goste de alguém. Ninguém tão boa que não sinta em seu coração a vontade de dar um tapa na face de outrem, mesmo que seja num personagem de novela.
Discernir estes fatos e aprender com eles é uma dádiva para poucos, mais uma possibilidade para muitos. Basta querermos!
Viver é o mais atuante ato da grande peça teatral deste tempo-espaço em que vivemos, saiba administrá-lo, ou melhor, as vezes saiba
não administrá-lo, pois todo mundo precisa algum dia perder a cabeça por alguma coisa, para aprender com essa atitude.
Seja feliz meu caro leitor, pois num belo dia se morre e tudo isso fica por aí!