Fim de ano que nada… Recomeço…

As expectativas de inicio de ano se iniciam. Com elas vêm às comemorações com os familiares, muito consumismo e muita caridade. As pessoas deixam seu desdém pelas outras de lado, buscando renovar seu lugarzinho no purgatório promovendo boas ações. Neste período, todos somos bons. Pensamos sempre mais nos outros do que em nós mesmos e por fim desejamos que o outro tenha em dobro o que já temos. Quanta mentira!

Fim de ano é sempre muito familiar. Os parentes tendem a procurarem-se buscando uma trégua na batalha realizada durante o ano todo, outros nem procuram isso. Família realmente é algo abençoado. Cada uma tem sua peculiaridade.

É uma hipocrisia total. Aquela tia que chega lhe indagando quando irás casar. Aquele avô querendo saber quantas o neto já pegou na semana. Uns que não se bicam, outros que se respeitam e muitos que são famílias individuais…

Fazer parte de uma família estruturada deve ser uma chatice, pois o legal de pertencer à uma família, são as crises existenciais dentro dela.

São tios se digladiando pelo amor dos pais, são primos se descobrindo gays, irmãos confabulando sobre comportamentos dos sobrinhos, brigas pelo maior pedaço de pudim na ceia de natal, amigos secretos que parecem mais inimigos e por fim muita… muita individualidade.

O religioso dominicano Henri Lacordaire já dizia: “O que é uma família seJustificarnão o mais admirável dos governos?”, e que governo não?

Administrá-la é algo para poucos, diante de tantas diferenças misturadas. São escabrosas árvores genealógicas que se misturam e formam uma só comunidade. Gente de todos os formatos, cada um com seu pensamento, tentando educar-se da melhor forma e buscando uma paz que nunca conseguirá atingir.

Diante de todos os membros de uma família, uma é especial: a MÃE. Quando Deus desenhou a criação da figura materna ele estava… estava… Ah sei lá, me falta adjetivo!

O filósofo grego Platão dizia que tinha irmãos, pai, mas não tinha mãe e que quem não tem mãe, não tem família. Que frase linda e sincera! É a mais pura verdade!

Pais encontram-se aos montes, no entanto, mãe não é dádiva para qualquer uma.

Entender? Entenda quem lê!