Fonte: BBC

Um estudo científico recém-publicado questiona a teoria da propensão natural dos homens à promiscuidade, mostrando que homens e mulheres nos países ocidentais tendem a ter o mesmo número de filhos com o mesmo número de parceiros.

O estudo compilou dados de mais de 10 mil pessoas em 18 países para avaliar a validade de uma teoria de 1948, que afirmou que os homens tenderiam mais naturalmente à busca de um maior número de parceiras possível, enquanto as mulheres seriam mais seletivas nas suas escolhas de parceiros.

Teoria rejeitada

A nova pesquisa, publicada na última edição da revista especializada Trends in Ecology and Evolution, sugere que as estratégias humanas para reprodução não seguem um padrão universal único.

O estudo indica, por exemplo, que apesar de o número de filhos e de parceiros serem semelhantes entre homens e mulheres nas sociedades monogâmicas, o mesmo não acontece nas sociedades poligâmicas.

Tá bom… Na pesquisa pode até ser que eles se safaram, mas na prática, homem é muito mais prómíscuo do que a mulher, inegavelmente. Me poupem!