Notoriamente o quantitativo de público da XI Merco Noroeste diminuiu neste ano de 2009. Menos stands, menos pessoas, menos qualidade.
Particularmente, ao visitar a feira, estava acostumado com grandes produções nos stands, gente bonita e outros detalhes a parte.
Neste ano o que vale a pena destacar foi a produção do stand da Prefeitura Municipal de Itaperuna, que arrasou na decor, com banners lindíssimos. Rendo-me também ao stand de grandes obras de arte, principalmente a um quadro maravilhoso que vi da artista Beth Ximenes. Odiei a propaganda da UNIG com o Grupo CTI de teatro que demonstraram ainda meninos na arte de atuar, contudo, o objetivo da propaganda com certeza foi realizado; todos paravam para ver de quem eram aquelas vozes horrorosas, aliadas a uma péssima gravação, que mais parecia ter sido feita por uma câmera digital básica. A boate que sempre é a grande atração da festa, é um caso a parte, seria mais interessante promover uma grande danceteria ao ar livre, onde na verdade ficam a maioria das pessoas, mas entendo que isso faz parte do capitalsimo e imagino o quanto os donos da intinerante não depositaram na conta do SEBRAE e Cia. Tinha também alguns ambientes com música ao vivo, muito aconchegantes, que valeram a pena parar para ouvir.
Outra coisa aterrorizante é a cobertura da TV Itaperuna. tudo bem que o lema deles sejam a verdade através da lente, onde tudo pode acontecer, mas ha de ser ética profissional e “semancol” de perceber-se o quanto é ruim para o município e ainda mais para a empresa este tipo de trabalho. Ela é prova real de que para ser jornalista, precisa-se muito mais do que um diploma nas mãos.
Enfim, mais uma feira, mais um ano e nada… nada de diferente!