Fiquei o carnaval inteiro pensando no que escrever na coluna, sem que fosse algo visivelmente publicado e explorado pela mídia de forma geral.

Pensei, pensei, pensei, mais a quantidade de ICES que tomei no carnaval não me deixaram raciocinar muito bem. Enfim, nada vezes nada.
Mas, porém, contudo, todavia, no entanto, entretanto, hoje (18/2/2010) sem nada na vida para fazer, assisti o inicio da novela Viver a Vida da Rede Globo. Foi quando me deparei com a cena do ator Mateus Solano chorando de amores pela personagem da Alinne Moraes e indaguei-me: será que ainda existem homens que choram por amor?
Com toda “masculinidade” em jogo e com a necessidade de demonstrar o machismo exacerbado que lhe identifica como o poderoso da relação, fica dificil imaginar um homem chorando de amores por uma mulher.
Seja no sofrimento do rompimento, ou por uma traição, ou até mesmo por uma discussão sem grande importância, é inevitável a tristeza, se você relamente gosta da outra pessoa.
Quando trata-se de um homem homossexual isso é mais normal, pois, somos mais sensiveis a estes sentimentos. Não temos medo de transmitir nossas fraquezas e nem as nossas angústias.
A palavra paixão vem do latim passione que é igual a sofrimento, sentimento excessivo; afeto violento; entusiasmo, cólera, grande mágoa; vício dominador; alucinação; sofrimento intenso, ou seja, algo vivido intensamente. Será que existe algum homem que sinta este sentimento ao ponto de chorar? Você conhece algum? Ou você é um? Dê sua opinião!